Terapia Ocupacional – O que é? – [CINESIOTERAPIA]

Você já chegou a um ponto da vida em que tentou fazer algo que fazia tranquilamente quando mais jovem e percebeu que o corpo não tinha mais a elasticidade de antes e algumas dores começaram a aparecer em regiões específicas do corpo? Então, eu cheguei nesse ponto e percebi que precisava de ajuda. Foi pesquisando sobre isso e como resolver o meu problema que cheguei à terapia ocupacional e, mais especificamente, à cinesioterapia.

 

 

Talvez você já tenha ouvido falar sobre essa profissão e tenha até ouvido algum adolescente que faria Enem dizer que queria fazer TO. Sem saber, você perguntou o que era TO e ouviu que era a maneira como se referiam à Terapia Ocupacional. Envergonhado você não alongou a conversa, mas estou aqui para te ajudar a saber o que é e o que se faz nessa terapia.

O que é Terapia Ocupacional?

Uma das coisas que as pessoas não sabem sobre a Terapia Ocupacional é que ela não é apenas para quem é velho como eu (sim, a cabeça está ativa, mas o motor bem rodado com 45 anos). A verdade é que a TO beneficia pessoas de todas as idades. Seja você jovem ou já na melhor idade, a Terapia Ocupacional é para qualquer pessoa que, por motivos diversos, tem algum tipo de limitação de movimentos que impedem de realizar alguma atividade do dia a dia. Isso mesmo, se você perdeu a flexibilidade, a Terapia Ocupacional funciona para você.

Bem, pensando nisso eu estava refletindo e percebi que só damos valor a algumas coisas quando perdemos. Por exemplo, você só dá valor ao seu dedinho quando dá uma topada com toda força no pé da cama. Da mesma forma, você só dá valor à flexibilidade quando não consegue abaixar mais para pegar algo no chão sem soltar um sonoro gemido de dor. Ou quando, depois de muito tempo sentado numa cadeira, levanta e precisa dar uma esticada nas costas senão, sequer consegue andar direito.

Agora me responda. Você tem dificuldade com alguma dessas ações?

  • escovar os dentes
  • vestir uma camisa
  • colocar os sapatos…

Se a sua resposta for sim para qualquer uma das situações acima, é o momento de considerar se não há a necessidade de fazer uma visita a um profissional da área.

Qualquer uma das atividades citadas acima incomoda demais quando a pessoa perde a capacidade de fazer. Além destas, existem muitas outras atividades diárias que fazemos que incluem autocuidado (higiene, alimentação e vestuário); produtividade (trabalhar ou estudar); momentos de lazer (esportes, dança e pintura, por exemplo) e atividades sociais em geral as quais sofrem algum tipo de limitação.

Busquei a definição do que é Terapia Ocupacional para que você saiba responder na próxima vez que alguém perguntar o que é para você.  Segundo o Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (Coffito) define a terapia ocupacional como uma “profissão de nível superior voltada ao estudo, à prevenção e ao tratamento de indivíduos com alterações cognitivas, afetivas, perceptivas e psico-motoras, decorrentes ou não de distúrbios genéticos, traumáticos e/ou de doenças adquiridas”. (fonte)

Quanto ao local de trabalho, os profissionais de TO e também os fisioterapeutas trabalham em diversos locais, como hospitais, clínicas, ambulatórios e lares de idosos. Engana-se, porém, quem imagina que eles trabalham sempre de jaleco branco fechados dentro de uma clínica. É bastante comum vê-los desempenhando suas funções em projetos sociais, escolas, empresas, casas de família, no sistema prisional, entre outros.

Por fim, quero deixar uma pequena citação da terapeuta ocupacional e doutoranda em saúde coletiva no Instituto René Rachou (Fiocruz Minas), Edna Mendonça,:

“O terapeuta ocupacional desempenha papel primordial no âmbito da saúde coletiva, pois sua formação é capacita a lidar com questões sociais, de reabilitação física e psíquica, reintegração social e, a partir disso, contribuir para a promoção, prevenção e recuperação daqueles que necessitam de cuidado”

Deixe um comentário