Se você tem hipertensão, leia isso aqui

A hipertensão, também com o nome de hipertensão arterial, é qualificada pela pressão acima de 14 por 9 (140 X 90 mmHg). É um adoecimento que não tem cura e, quando não é devidamente analisada, pode elevar o risco de desenvolve problemas de saúde graves, como infarto, derrame ou comprometimento renal.

A pressão desestabilizada não tem restauração, mas pode ser controlada com medicação indicada pelo médico do coração, além de uma alimentação pobre em sal e gorduras e a prática regular de atividades físicas.

pressão alta tem cura natural hoje mesmo

Em nosso espaço você vai saber mais sobre Dieta para baixar pressão alta

A pressão desestabilizada é uma doença quase invisível. Geralmente, só causa sintomas como tonturas, visão turva ou falta de ar quando a pressão está muito elevada, durante o que chamamos de crise de hipertensão. Nestas ocasiões, ocorre um aumento rápido e severo da pressão arterial com níveis de pressão diastólica, que deveria ser inferior a 90, acima de 120 mmHg, sendo recomendado o indivíduo procurar atendimento médico urgentemente.

Pacientes já hipertensos, em uso diário de medicação, podem apresentar valores de pressão aumentados, mesmo sem sentir nada. Nos casos apontados, normalmente, é recomendado tomar uma dose extra do remédio que o paciente já utiliza e consultar seu médico para reavaliação e ajuste do tratamento.

Os sintomas de pressão alta não se manifestam em todos os pacientes, mas podem incluir Enjoos, Tonturas, Dor na nuca, Dificuldade para respirar, Visão embaçada e Dor no peito.

Caso o sujeito comece a apresentar estes indícios, ele deve ser levado para o hospital para avaliação.

É normal, porém, que a pressão arterial sofra sensíveis alterações em situações como susto, noite mal dormida, após uma discussão ou durante e após a atividade física, não sendo, necessariamente, sinal de problemas de saúde.

O tratamento para pressão desestabilizada pode ser feito com a ingestão diária de medicamentos anti-hipertensivos, como Enalapril, Losartana ou Lisinopril, por exemplo.

Além disso, para ajudar a tratar a pressão elevada é recomendado fazer uma alimentação com pouco sal e gordura, indicada pelo nutricionista, e praticar exercícios físicos regulares, conforme orientação médica e de um preparador físico. É a mesma recomendação dada a quem descobriu que está com câncer. Isso é chamado de dieta anti câncer.

O paciente hipertenso deverá fazer acompanhamento com o cardiologista a cada 3 meses ou conforme orientação de seu terapeuta. Ele pode também ler este artigo sobre como baixar a pressão alta.

Como manter a hipertensão sob controle

A hipertensão arterial ou, meramente, pressão alta é início certo para uma série de males- e não unicamnete aqueles que envolvem o sistema circulatório. “Normalmente, um paciente com pressão igual ou superior a 140/90mmHg é diagnosticado como hipertenso. São pessoas mais sujeitas a sofrer com falhas no coração, nos rins e até no cérebro” explica o cardiologista André Luiz Grande.

A doença é crônica, ou seja, doença que dura por períodos superiores a seis meses e não se resolve em um curto espaço de tempo. (não tem cura, mas pode ser controlada) e, por isso, é importante fazer exames frequêntes para verificar como andam seus batimentos cardíacos. Mas atenção: ter alta pressão não é sinônimo de ser pessoa com pressão elevada.

“Para ser considerado hipertenso, o paciente tem de permanecer com a pressão mais alta do que o normal” , dizem os livros sobre o assunto. Isso porque, momentaneamente, qualquer pessoa está sujeita a uma variação na freqüência cardíaca. Um esforço físico mais intenso ou momentos de estresse, por exemplo, alteram os exames.

Poucas mudanças no dia a dia, no entanto, ajudam não só a prevenir o problema como controlam níveis já altos de pressão. Agora vocÊ pode, abaixo, conferir uma lista delas e reformule suas atividades para viver melhor.

Previna a pressão desestabilizada

1. Manutenção do peso ideal- o sobrepeso dificulta o esforço do coração para conseguir trabalhar. O que acontece na verdade é uma coisa só: o músculo é forçado demais. “Como o bíceps de quem levanta peso, o coração de uma pessoa obesa acaba hipertrofiado” , explica o cardiologista. Com um risco: as lesões causadas pelo esforço excessivo podem se tornar irrecuperáveis.

2. Fazer exercícios físicos de forma regular, principalmente as aeróbias, ajudam para a melhora de todo o sistema circulatório e pulmonar. Atente, porém, para o que dizem os especialistas em Educação Física: antes de começar qualquer treino, procure um especialista e faça uma avaliação geral.

3. Não use sal em demasia – colocar muito sal na dieta na dieta leva à retenção de líquidos, acarretando pressão arterial elevada. Por isso, corte um pouco na hora de temperar aquilo com que vai se alimentar e diminua o consumo de enlatados e alimentos em conserva.

4. Não fazer uso de bebidas destiladas ou fermentadas que tenham álcool: O álcool em quantidades superiores às recomendadas é inimigo feroz da pressão normal. Corte as bebidas da sua dieta ou consuma com muita moderação.

5. Alimentação equilibrada: Gorduras saudáveis e pouco sal são medidas das quais não podemos esquecer na dieta de quem quer manter o coração trabalhando normalmente. Faça uso de ainda muitas frutas, verduras e legumes. Eliminar a carne não é preciso, mas produre sempre aos cortes magros, ou seja, com menos gordura.

6. Remédios: se o médico recomendou, não deixe de tomar. Mas nada de sair por aí imitando a receita alheia. Vale lembrar que alguns medicamentos podem elevar a pressão, como os antiiflamatórios e anticoncepcionais, ressalta o cardiologista.

7. Tabaco: junto às outras substâncias tóxicas do cigarro, eleva a pressão imediatamente além de comprometer toda sua saúde. Eliminar o cigarro é obrigação , alertam os professores de Medicina da USP.

8. Estresse: ele aparece como resposta do organismo às sobrecargas físicas e emocionais, acarretando a pressão arterial elevadae doenças do coração. Controle suas emoções e procure incluir atividades relaxantes no seu dia a dia.

9. Não deixe de ir ao médico: avaliações regulares não só ajudam a identificar o problema no começo, facilitando o tratamento, como servem para adequar o uso de medicamentos de forma mais eficaz.

10. Medir a pressão: no mínimo uma vez por ano, todos os indivíduos devem fazer isso. O recomendado Sociedade Brasileira de Hipertensão, que chama a atenção para esse simples exame como uma forma de prevenir problemas mais sérios.

Saiba mais: 10 maneiras de prevenir a hipertensão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *