Exercícios sobre Humanismo

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Nesta nova lista de exercícios de Literatura para o Enem vamos ver alguns exercícios sobre o Humanismo. Se você chegou aqui atrás de exercícios de revisão de Português, acesse nossos artigos também nas outras categorias. Revisar os conteúdos para o Enem é muito importante para chegar ao dia da prova bastante preparado para o desafio da prova de Linguagens. Caso queira ver o artigo com os exercícios de Literatura sobre o Quinhentismo, acesse a categoria de Literatura na página inicial do site.

Literatura – Exercícios de Humanismo

1. Os humanistas difundiram a ideia de que os valores e direitos de cada indivíduo deviam sobrepor-se à sociedade. Grandes admiradores da cultura antiga, estudavam, copiavam e comentavam os textos de poetas e de filósofos greco-latinos, cujas idéias seriam amplamente aceitas no movimento de renovação que atingiu sua plenitude entre os séculos XV e XVI.

Em uma das alternativas abaixo encontramos o nome desse movimento de renovação. Assinale com um (x) a alternativa correta:

(     ) Renascimento
(     ) Vicentino
(     ) Trovadorismo
(     ) Jesuítas

Vivendo em plena crise dos valores medievais, Gil Vicente é um autor que, apesar de humanista, ainda permanece mais voltado para a tradição do que para a modernidade. Seu  teatro tem caráter popular e utiliza temas da Idade Média, como as narrativas de origem cavaleiresca e o lirismo das cantigas. Gil Vicente sempre foi extremamente crítico para com a sociedade do seu tempo, retratando-a com mordacidade e comicidade extremas, que não perdoavam nem a fidalguia, nem a plebe, nem a burguesia ou o clero, mesmo sendo um católico de profunda fé cristã, aspecto que também aparece em sua obra.

Leia o fragmento abaixo e responda:

Auto da Lusitânia

 Entra Todo-Mundo, homem como rico mercador, e faz que anda buscando alguma coisa que se lhe perdeu; e logo apos ele um homem, vestido como pobre, este se chama Ninguém, e diz:

Ninguém:           Que andas tu i buscando?

Todo-Mundo:     Mil coisas ando a buscar:

delas não posso achar,

porém, ando perfiando,

por quão bom é perfiar.

Ninguém:           Como hás nome, cavaleiro?

Todo-Mundo:     Eu hei  nome Todo-Mundo,

e meu tempo todo inteiro

sempre é buscar dinheiro,

e sempre nisto me fundo.

 Ninguém:           E eu hei nome Ninguém,

e busco a consciência.

Berzabu:            Esta é boa experiência:

Dinato, escreve isto bem.

Dinato:                Que escreverei, companheiro?

Berzabu:            Que Ninguém busca consciência,

e Todo-Mundo dinheiro.

Ninguém:           E agora que buscas lá?

Todo-Mundo:     Busco honra muito grande.

Ninguém:           Eu, em virtude, que Deus mande

que topo co’ela já.

Berzabu:            Que adição nos acode:

escreve logo i a fundo,

que busca honra Todo-Mundo,

e Ninguém busca virtude.

2. De que recursos se vale Gil Vicente para jogar com os sentidos das palavras, dando um tom humorístico ao texto?

3. Pela maneira como o autor explora tema e personagens e utiliza a linguagem, você diria que esta cena tem caráter erudito ou popular? Justifique sua resposta:

4. Através do personagem Berzabu, Gil Vicente faz uma crítica. Diga com suas palavras a quem a crítica do texto quer atingir?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *