Skip to main content

Exercícios sobre estrutura de palavras com gabarito




Estes são alguns exercícios sobre estrutura de palavras com gabarito bastante interessantes para estudar o princípio dos conteúdos no Ensino Médio. Qualquer aluno que esteja se preparando para o Enem ou vestibular sabe que quanto mais exercícios fizer melhor será seu desempenho. Nada de passar horas e horas lendo teoria para ir bem nas provas. O ideal é intercalar uma coisa com a outra. Você pode também encontrar mais conteúdo exclusivo sobre este assunto, inclusive com mapas mentais lá no meu curso Português Pra Passar. Visite este link ou o banner lateral para conhecer mais sobre o curso.

>> Com base na tirinha a seguir, responda às questões de 1 a 3.

1. Explique, do ponto de vista morfológico, a construção da palavra engavetamento.

2. Procure identificar pelo menos duas definições para essa palavra, de preferência, as mais relacionadas à situação descrita na tirinha.

3. O tema dessa tirinha é, tecnicamente falando, o efeito do sentido literal produzido pela palavra engavetamento. A partir dos elementos verbais e visuais apresentados, procure explicitar o efeito de humor produzido por essa palavra.

4. Leia o texto a seguir.

Bio passa pé




O projeto de lei sobre biossegurança, aprovado na Câmara, saiu diferente do consenso resumido pelo antigo relator do projeto Aldo Rebelo e, segundo especialista na área, inviabiliza o plantio da soja transgênica no Brasil em novas áreas. O novo relator do projeto, Renildo Calheiros, acabou cedendo em questão que muda tudo: a decisão vinculante da CTNBio.
No projeto de Rebelo, a CTNBio poderia deliberar sobre pesquisa, produção e comercialização. Agora, a parte da comercialização e produção terá que passar também pelo crivo do Ibama. E, se houver divergências, o tema passará pela aprovação do Conselho Nacional de Biossegurança (CNBS), formado por 15 ministros que tomam a decisão final do governo.

RACY, Sonia. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 6 fev. 2004. p. B2. Direto da fonte.

  • ctnBio: comissão técnica nacional de Biossegurança, subordinada ao ministério de ciência e tecnologia.
  • Ibama: Instituto Brasileiro do meio ambiente e dos recursos naturais renováveis, subordinado ao ministério do meio ambiente.

► De acordo com o texto, por que o projeto de lei aprovado pela câmara inviabiliza o plantio de soja transgênica no país?

► Explique, do ponto de vista dos estudos morfológicos, a formação do substantivo biossegurança e do adjetivo transgênico(a).

5.   Leia o texto a seguir.

Na Bandeirantes, o narrador do jogo Flamengo x Atlético Mineiro foi criativo. Quando Romário marcou o terceiro gol, ele vibrou muito: “O Flamengo revira o jogo”.
Que fique bem claro, ninguém estava revirando a terra ou o gramado do Maracanã. O narrador se referia à sequência dos gols: o Flamengo fez 1 x 0, o Atlético virou o jogo para 2 x 1 e, finalmente, o Flamengo estava virando ou, como ele preferia, revirando para 3×2.

DUARTE, Sérgio Nogueira. Língua viva III: uma análise simples e bem-humorada da linguagem do
brasileiro. Rio de Janeiro: Rocco, 2000. (Fragmento).

►  Explique qual a crítica feita por Sérgio Nogueira Duarte ao narrador esportivo.

►  Tente justificar, do ponto de vista gramatical, o uso do verbo revirar pelo narrador do jogo.




Gabarito dos exercícios

1. A palavra engavetamento é formada por en- (prefixo de origem latina que, nesse caso, significa “colocar em”) + gaveta (radical) + mento (sufixo também de origem latina).

2. Engavetamento é o ato ou efeito de engavetar, pôr dentro da gaveta de um cômodo. Engavetamento também pode ser a colisão entre meios de transporte, com produção de acidente que interrompe o movimento dos veículos.

3. O emprego de engavetamento tem um duplo sentido: trata-se do comentário, bastante óbvio, que explica por que os carros encontram-se parados, enfileirados. Há algo e/ou alguém que produziu um impedimento do fluxo dos veículos. trata-se, também, da explicação literal do acidente, no qual um caminhão de mudança deixa escapar a gaveta de um móvel que transportava, a qual atinge um motoqueiro que passava ao lado. Pode-se dizer que o humor é produzido, principalmente, pelo emprego do sufixo -mento na formação do substantivo engavetamento que descreve, nesse caso, o ato de acertar uma gaveta na cabeça de um motorista no trânsito.

4.

► Porque, segundo o projeto aprovado, as questões da comercialização e da produção da soja transgênica devem passar pela apreciação do Ibama, órgão responsável pelas questões ambientais no Brasil. em caso de veto do Ibama, o tema deve passar pela aprovação de um conselho formado por 15 ministros. Para os interessados no plantio do produto, haverá, portanto, maior fiscalização e, consequentemente, maior burocracia.

► O substantivo biossegurança é formado por bio- (prefixo de origem grega) + s (consoante de ligação) +segur(ar) (radical) + -ança (sufixo), enquanto o adjetivo transgênico é formado por trans- (prefixo de origem latina) + gen(e) (radical) + -ico (sufixo de origem grega formador de adjetivos).

5.

►  A crítica de Sérgio Nogueira Duarte ao narrador esportivo se refere ao uso inadequado do verbo revirar. O adequado seria usar o verbo virar para indicar uma inversão no placar do jogo.

►  O narrador usou o verbo revirar no sentido de “virar novamente”, sentido dado pelo prefixo re-. Considerando que o jogo foi “virado” por duas vezes (uma pelo atlético e outra pelo Flamengo), o narrador esportivo aplicou o prefixo ao verbo – embora essa construção tenha ficado inadequada, uma vez que revirar tem, na Língua Portuguesa, outro sentido (revolver, remexer).

Curso Português Pra Passar

Você já conhece meu curso Português Pra Passar? Nele você encontrará material teórico para estudar e revisar todo conteúdo do Ensino Médio e mandar muito bem no vestibular e Enem. Além dos artigos teóricos, há exercícios com gabarito e mapas mentais para revisar a matéria. Clique no botão abaixo e conheça melhor.

6 exercícios de variação linguística e concordância verbal




Qualquer aluno que esteja se preparando adequadamente para provas de vestibular e também o Enem sabe que deve fazer bons exercícios de provas anteriores e buscar outros que somem nessa preparação. Hoje em dia as opções são muitas, mas é grande o número de pessoas que se perdem nessas informações e e acabam sendo levados para atividades massivas e que nada ajudam. Não é assim aqui. Nossos exercícios são selecionados e os gabaritos conferidos para que não haja nenhum problema maior na hora de resolver os exercícios. Seja nos exercícios de interpretação, na leitura de propostas de redação ou mesmo fazendo as provas do Enem de anos anteriores, pouco a pouco os alunos vão exercitando a memória e estudando com eficácia. Vamos embora então nas atividades.

AS QUESTÕES DE 01 A 06 DEVEM SER RESPONDIDAS COM BASE NO TEXTO I.

TEXTO I

Biblioteca na palma da mão: a Amazon lança revolução no mercado editorial

A Amazon lança o Kindle, o leitor digital
que recebe livros pela onda do celular

 Carlos Rydlewski

Os primeiros livros feitos com tipos móveis renováveis, predecessores das publicações atuais, surgiram no século XV e semearam uma revolução. Transformaram a leitura em algo popular. Estaremos assistindo a uma nova revolução no conceito de livro? Na semana passada, a Amazon, a maior entre as livrarias on-line, lançou o Kindle, aparelho para ser usado na leitura de textos em formato digital. Não é o primeiro desse tipo de produto, chamado genericamente de e-reader. Mas tem um encanto especial: a conexão direta com a Amazon sem a intermediação de um computador. A livraria oferece 88.000 títulos para download. Há também uma seleção de jornais americanos e europeus, 250 blogs e a Wikipedia, a enciclopédia da web. Nenhum concorrente chega perto em número de publicações.




O conteúdo é baixado para o Kindle por telefonia celular, sem custo para o usuário. Já os livros e jornais precisam ser pagos. Um título recém-lançado sai por 9,99 dólares. Obras de catálogo são vendidas por menos de 1 dólar. Seja qual for o número de páginas da obra, o tempo de download não chega a ser um problema. O aparelho armazena em torno de 200 livros. O teclado permite consulta a textos arquivados e à Wikipedia. “O Kindle pode não substituir os livros, mas faz coisas que eles não fazem”, disse Jeff Bezos, dono da Amazon, no lançamento do produto. O Kindle não é barato – custa 399 dólares, o preço de um iPhone. Pesa 300 gramas. É ligeiramente mais grosso que um lápis e tem o formato aproximado de um livro-padrão. Ou seja, pode ser carregado numa pasta sem causar incômodo. O visor, com 15 centímetros na diagonal, usa tecnologia criada pela E-Ink, empresa que nasceu no Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT). A tela é constituída por cápsulas microscópicas, preenchidas por pigmentos pretos e brancos. Estes são ativados por uma corrente elétrica, formando as letras. Ao contrário dos computadores e dos celulares, quanto mais claro o ambiente, mais nítida fica a tela.

Os e-readers surgiram no fim dos anos 90. Nenhum deles emplacou. Pioneiros como o SoftBook e o Rocket eBook eram caros (500 dólares), pesados (1,5 quilo) e tímidos em termos tecnológicos (nem sonhavam com downloads por rede sem fio). A Sony produziu duas versões de livros digitais entre 2004 e 2006: o Librié e o Reader. O primeiro naufragou. O segundo tem vendas modestas. Tornou-se um produto de nicho. Em 2006, surgiu o iLiad, da iRex Technologies. Era mais leve que os primogênitos, mas ainda assim pesado: quase 400 gramas. A oferta de amplo conteúdo permite à dupla Kindle-Amazon um sonho mais ambicioso: representar para o mercado editorial o que outra dupla, a Apple-iPod, significou para a indústria fonográfica – uma reviravolta monumental.

(Folha de São Paulo, 22/11/2007)

QUESTÃO 01 (Descritor: depreender de uma afirmação explícita outra afirmação implícita.)

Assunto: Procedimento de leitura/variação linguística e concordância verbal.

 

Considerando-se as informações do texto, assinale a alternativa INCORRETA.

A) O livro digital, lançado pela Amazon, recebe o conteúdo via telefonia celular, sem ônus para o usuário.

B) A tecnologia digital para livros é bastante recente e não encontra concorrência no mercado.

C) O livro digital apresenta como vantagem o fato de dispensar o computador como intermediador.

D) Um atrativo do livro digital lançado pela Amazon é capacidade de memória, em torno de 200 livros além de outros arquivos.

E) O livro digital da Amazon pode representar uma grande “revolução” no mercado editorial.

 

QUESTÃO 02 (Descritor: identificar a ideia central de um texto.)

Assunto: Procedimento de leitura/variação linguística e concordância verbal.

 

O principal objetivo desse texto é

A) informar os leitores sobre um novo aparelho eletrônico.

B) discutir a influência da internet na rotina dos jovens.

C) apresentar o avanço das tecnologias virtuais.

D) conscientizar os leitores sobre a existência de livros digitais.

E) confrontar a existência de livros digitais com outros suportes.

QUESTÃO 03 (Descritor: depreender de uma afirmação explícita outra afirmação implícita.)

Assunto: Procedimento de leitura/variação linguística e concordância verbal.

 

Em relação ao lead do texto, pode-se afirmar que ele sugere

A) ceticismo diante do assunto a ser abordado.

B) otimismo em relação ao tema.

C) crítica à postura do mercado editorial.

D) impessoalidade em relação à opinião do articulista.

E) imparcialidade frente ao assunto a ser discutido.




QUESTÃO 04 (Descritor: identificar relações de concordância dentro da oração.)

Assunto: Concordância verbal/variação linguística e concordância verbal.

 

Em relação às sentenças abaixo, extraídas do texto, foram feitas algumas considerações acerca da concordância verbal. Assinale a alternativa cuja consideração esteja INADEQUADA.

A) “Há também uma seleção de jornais americanos e europeus(…).” – O verbo haver não apresenta sujeito, portanto, deve permanecer sempre na terceira pessoa do singular.

B) “Nenhum concorrente chega perto em número de publicações.” – O verbo está na terceira pessoa, concordando com o sujeito simples ‘nenhum concorrente’.

C) “Tornou-se um produto de nicho.” – O verbo está na terceira pessoa do singular, porque o sujeito da sentença é indeterminado pela partícula SE.

D) “Estes são ativados por uma corrente elétrica, formando as letras.” O verbo concorda com o pronome demonstrativo ‘estes’, que retoma, no contexto, ‘pigmentos pretos e brancos’.

E) “Em 2006, surgiu o iLiad, da iRex Technologies.” – O verbo concorda com o sujeito simples ‘o iLiad, posposto a ele.

 

QUESTÃO 05 (Descritor: reconhecer uso de linguagem figurada na construção de um texto.)

Assunto: Conotação x denotação/variação lingüística e concordância verbal.

 

Em todos os fragmentos extraídos do texto, utilizou-se a conotação como recurso, EXCETO em

A) “Os primeiros livros feitos com tipos móveis renováveis, predecessores das publicações atuais, surgiram no século XV e semearam uma revolução.”

B) “Na semana passada, a Amazon, a maior entre as livrarias on-line, lançou o Kindle, aparelho para ser usado na leitura de textos em formato digital.”

C) “A Sony produziu duas versões de livros digitais entre 2004 e 2006: o Librié e o Reader. O primeiro naufragou.”

D) “Pioneiros como o SoftBook e o Rocket eBook eram caros (500 dólares), pesados (1,5 quilo) e tímidos em termos tecnológicos(…).”

E) “A oferta de amplo conteúdo permite à dupla Kindle-Amazon um sonho mais ambicioso: (…).”




 

QUESTÃO 06 (Descritor: identificar índices contextuais e situacionais como marcas de oralidade no processo de construção do texto.)

Assunto: Norma culta e norma popular/concordância verbal.

Leia as placas abaixo encontradas em imóveis para venda ou aluguel.

I- Alugo lojas neste prédio.

II- Vende-se apartamentos de 02 e 03 quartos na região.

III- Vende-se casa no lagoa.

IV- Aluga-se imóveis comerciais na região.

Alguns dos anúncios apresentam marcas de oralidade e desvios em relação à norma culta. Assinale a alternativa que apresenta uma consideração INADEQUADA sobre os anúncios acima.

A) No anúncio I, o pronome ‘neste’ deveria ser substituído pela forma ‘nesse’, indicando o prédio no qual estava o anúncio.

B) No anúncio II, o verbo está flexionado inadequadamente, pois o núcleo do sujeito ‘apartamentos’ é plural.

C) No anúncio II, a conjunção ‘e’ deveria ser substituída pela conjunção ‘ou’, a fim de melhorar a coerência textual.

D) No anúncio III, a palavra ‘lagoa’ deveria vir grafada com letra maiúscula, por se tratar de um bairro da cidade.

E) No anúncio IV, o SE é uma partícula apassivadora, portanto, o verbo deveria estar flexionado no plural, concordando com o sujeito paciente.

 

Gabarito dos exercícios  de variação linguística e concordância verbal

QUESTÃO 01 B
QUESTÃO 02 A
QUESTÃO 03 B
QUESTÃO 04 C
QUESTÃO 05 B
QUESTÃO 06 A

10 exercícios de verbos com gabarito




Esta é uma lista de exercícios de verbos já com gabarito comentado. Estudar os verbos é entender as construções sintáticas em que se apoiam os textos. Além da questão gramatical, você aprenderá aqui na prática como é que esta classe gramatical é importante na interpretação de textos, algo bastante importante nas provas do Enem e também nos vestibulares. Confira também o gabarito dos exercícios para ver seu desempenho e entender onde é que está errando na hora da resolução. Além desses exercícios, é bom que se diga, há muitos outrs que você pode acessar pela barra lateral ou mesmo visitando as categorias do nosso blog.

Lista pronta de exercícios de verbos

1. Considere o texto publicitário a seguir.

Mude seu banheiro da água para Harpic Descubra o frescor e a praticidade do novo Harpic Tablete. É só jogá-lo na caixa acoplada e dar descarga para ter o seu vaso limpo por até 200 descargas. Experimente e descubra: banheiro bom é o que tem Harpic. Confie no especialista.

Casa Claudia. São Paulo: Abril, ano 26, n. 10. out. 2002.

O texto da propaganda utiliza um recurso bastante recorrente em anúncios publicitários, quanto ao emprego de verbos. Diga que recurso é este e que efeito de sentido ele provoca no leitor.

Leia a letra de música a seguir para responder às questões de 2 a 4.

Ai, se sesse!

Se um dia nóis se gostasse; Se um dia nóis se queresse; Se nóis dois se impariasse; Se juntinho nóis dois vivesse! Se juntinho nóis dois morasse; Se juntinho nóis dois drumisse; Se juntinho nóis dois morresse! Se pro céu nóis assubisse!? Mas porém, se acontecesse, Qui São Pedro não abrisse As porta do céu e fosse, Te dizê quarqué toulice? E se eu me arriminasse E tu cum eu insistisse, Pra qui eu me arrezorvesse E a minha faca puchasse, E o buxo do céu furasse?… Tarvez qui nóis dois ficasse Tarvez qui nóis dois caísse, E o céu furado arriasse E as Virge todas fugisse!!!

SILVA, Severino de Andrade (“Zé da Luz”). Cordel do Fogo Encantado. Trama, 2001.

Impariasse: variante popular para “emparelhar” (ficar lado a lado, tornar-se parceiro).
arriminasse: variante popular para “arrimar” [arrumar(-se): conseguir boa situação, sob qualquer  aspecto].

2. A música foi composta numa norma não padrão da língua. Isso fica evidente na ortografia de certas palavras, como buxo (bucho), puchasse (puxasse), tarvez (talvez), entre outras. Mas essa variedade pode também ser percebida quando observamos a conjugação dos verbos.

  • Qual o modo verbal que predomina na letra da música? em que tempo está?
  • Que efeito o modo e o tempo desses verbos produzem na música?

3. Observe o título da música Ai, se sesse. Que verbo seria este cujo subjuntivo é sesse? Como é, na norma padrão, o subjuntivo deste verbo?

4. Como a variedade linguística utilizada na composição dessa música não é a padrão, nem todos os verbos estão conjugados de acordo com as regras da língua padrão. Reescreva aqueles cuja conjugação diverge da concordância oficial.

5.  O pretérito perfeito do indicativo é geralmente usado para descrever fatos ou estados concluídos no passado e em algum momento anterior ao instante em que se fala. Considere as frases a seguir e diga se esta característica do perfeito do indicativo se aplica a elas.

  • “Viu, gostou, levou” (Anúncio publicitário)
  • “Pensou persiana, lembrou Columbia”
  • (Anúncio publicitário de persianas)
  • “Ajoelhou, tem que rezar” (Dito popular)

Conheça técnicas de memorização para guardar todos os tempos e modos verbais

Leia o texto a seguir para responder as questões de 6 a 8.

O futuro do gerúndio Você já se irritou hoje? Não? Parabéns: você não deve ter telefonado para o seu banco até o momento. Porque qualquer operação bancária que você faça ao telefone com um ser humano do outro lado da linha vai necessariamente envolver uma resposta no odioso futuro do gerúndio. Sim, você conhece esse novo tempo verbal – só não sabia que ele se chamava assim. “Nós vamos estar creditando 500 reais na sua conta”, “os talões vão estar sendo enviados para a sua casa”, “vai estar sendo debitado da poupança” – frases que a gente ouve mais do que “bom dia”, não é mesmo? Pois bem. Até quando você e eu vamos estar sendo submetidos a esse martírio? Por que temos que estar obrigados a estar tendo que ouvir frases que vão estar contaminado nosso cérebro a longo prazo? Quanto tempo vamos estar demorando para passar a estar falando desse jeito na vida real?

FREIRE, Ricardo. The best of Xongas. São Paulo: Mandarim, 2001.




6. Ricardo Freire, no texto transcrito, trata da inadequação de uma determinada construção gramatical.

  • Qual é a inadequação?
  • Explique, do ponto de vista gramatical, em que consiste esta inadequação.
  • Qual seria a construção gramatical correta a ser utilizada em lugar do “futuro do gerúndio?

7.  O autor manifesta a sua preocupação com o fato de, daqui a algum tempo, os falantes passarem a utilizar esse tipo de construção inadequada em função da frequência com que a ouvem. De que recurso se vale o autor para comprovar essa possibilidade?

8. Reescreva o trecho a seguir, eliminando o futuro do gerúndio.

Por que temos que estar obrigados a estar tendo que ouvir frases que vão estar contaminando nosso cérebro no longo prazo? Quanto tempo vamos estar demorando para passar a estar falando desse jeito na vida real?

9. Leia com atenção o texto a seguir.

Fui abandonado por Flora (e que a humildade dessa voz passiva pulverize os que sempre me pintaram como bastião do porco-chauvinismo) no meio de uma mononucleose.

RODRIGUES, Sérgio. O homem que matou o escritor. Rio de Janeiro: Objetiva, 2000.

Explique por que o narrador se refere à “humildade da voz passiva” como comprovação para o fato de não poder ser considerado chauvinista. Se o narrador correspondesse à imagem de “bastião do porco-chauvinismo”, que estrutura sintática seria utilizada por ele? Justifique sua resposta.

10. A correlação dos tempos verbais é um importante fator para a construção do tempo em um texto narrativo. No texto transcrito a seguir, preencha as lacunas com o verbo indicado, estabelecendo a adequada correlação de tempos entre as formas verbais.

O importante era não ser preso logo. Gim se ___________ (espremer) contra um vão de porta, os policiais pareciam correr em frente, mas de repente _________ (ouvir) os passos ____________ (retornar), __________ (dar) a volta pelo beco. _________ (pular) fora rápido, em saltos leves. — _____ (parar) ou a gente _________ (atirar), Gim! “Está bom, vamos ver, atirem!”, pensava ele, e já ___________ (estar) fora do alcance dos tiros, a grandes passadas na beirinha dos degraus de pedra, __________ (despencar) pelas vielas tortas da cidade velha. Acima da fonte _________ (saltar) a balaustrada da rampa, e então ________ (ficar) embaixo da arcada que ______________ (amplificar) os passos.

CALVINO, Italo. A aventura de um bandido. In: Os amores difíceis. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

Gabarito dos exercícios sobre verbos

1. O recurso de que se vale o anúncio é o uso do imperativo (mude, descubra, experimente, confie). Ao utilizar esse modo verbal, o publicitário pretende convencer o leitor da necessidade de consumir o produto, induzindo-o a adquiri-lo.

2.

  • O modo subjuntivo, no pretérito imperfeito.
  • O modo subjuntivo denota algo hipotético, algo cuja probabilidade de ocorrência é duvidosa ou incerta. No caso da música, o autor elabora perguntas do que aconteceria caso o amor hipotético entre o eu lírico e sua/seu parceira/o se efetivasse.

3.  Sesse corresponde ao verbo ser, portanto o subjuntivo é fosse.




4.  Conjugados de acordo com a norma padrão, os verbos assumiriam as seguintes formas: se fosse, se nós nos gostássemos, se nós nos quiséssemos, se nós nos emparelhássemos, se nós vivêssemos, se nós morássemos, se nós dormíssemos, se nós morrêssemos, se nós subíssemos, se eu me arrimasse, se tu insistisses, para que eu me resolvesse, se nós ficássemos, se nós caíssemos, se as virgens todas fugissem.

5.  Tanto nas frases dos anúncios quanto nos ditos populares, os verbos que estão no pretérito perfeito do indicativo não se referem a algo já concluído anteriormente ao momento em que se fala. eles equivalem a uma espécie de verdade absoluta, isto é, são asserções válidas para qualquer momento. assim, por exemplo, “pensou persiana, lembrou Columbia” equivaleria a “toda vez que você pensar em persiana, você deve se lembrar das persianas da marca Columbia”.

6.

  • O uso desnecessário do gerúndio em algumas locuções verbais, como “vamos estar creditando”, “vão estar sendo enviados”, “vai estar sendo debitado”. O autor chama esse tipo de construção de “futuro do gerúndio”.
  • O gerúndio é uma forma verbal que dá a ideia de continuidade, de ação em processo. Nestes casos, está usado inadequadamente porque o sentido que se pretende é o de ação futura, que será realizada.
  • O correto seria usar o futuro do presente simples (creditaremos) ou composto (serão enviados, será debitado).

7.  Ricardo Freire, ao manifestar sua preocupação, se vale da reprodução irônica da estrutura que está criticando: “vamos estar sendo submetidos”, “temos que estar obrigados a estar tendo que ouvir”, “vão estar contaminado”, “vamos estar demorando para passar a estar falando”.

8.  Por que temos que ser obrigados a ouvir frases que contaminarão nosso cérebro no longo prazo? Quanto tempo demorará para passarmos a falar desse jeito na vida real?

9.

  • O narrador refere-se à “humildade da voz passiva” porque, uma vez que o sujeito sofre a ação verbal nessa estrutura sintática, ele sempre estará em posição inferior.
  • O narrador empregaria a voz ativa. Como nessa estrutura sintática o sujeito pratica a ação verbal, ele estaria em uma posição superior.

10. As formas verbais que preenchem adequadamente as lacunas são: espremeu, ouviu, retornarem, darem, pulou, para, atira, estava, despencando, saltou, ficou, amplificava.

Saiba mais sobre estes assuntos




→ Dificuldade para estudar sozinho? Existem várias opções boas e baratas para estudar em casa. A melhor delas é o Descomplica. São milhares de aulas abordando TODOS os assuntos cobrados no Enem e vestibulares. Veja a análise na qual respondo se O Descomplica é bom para o Enem.

→ Saiba tudo que é necessário para fazer uma redação nota 1000 no Enem. Aprenda como montar uma redação dissertativa, como fazer uma introdução matadora e até mesmo um tutorial completo para redação em concurso público.

→ Dúvidas sobre Gramática? Resolva estes exercícios e confira o gabarito depois. Veja exercícios de coesão textual, exercícios sobre formação de palavras, exercícios de concordância e também atividades com gabarito sobre adjetivo.